"Todos já sabiam", ouvem advogadas após chegada da comissão de suporte às vítimas de prefeito

INVESTIGAÇÃO CRITERIOSA

“Todos já sabiam”, ouvem advogadas após chegada da comissão de suporte às vítimas de prefeito

Uma comissão com mais de 15 pessoas busca vítimas do prefeito afastado José Hilson de Paiva, de 70 anos, acusado de abusar sexualmente de pacientes durante consultas ginecológica

Por Crisneive Silveira em Segurança Pública

18 de julho de 2019 às 12:36

Há 3 meses

Pelo menos 18 vítimas diferentes foram identificadas nos 63 vídeos íntimos gravados pelo próprio José Hilson (FOTO: Reprodução)

A comissão criada pela Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos, do Governo do Estado, com Defensoria Pública do Ceará, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE) e outros grupos esteve em Uruburetama, a 110km de Fortaleza, para dar suporte às vítimas de José Hilson de Paiva. Médico e prefeito afastado da cidade, ele é investigado por abusar sexualmente de pacientes durante exames ginecológicos.

Equipe volta a visitar o município e também vai até Cruz, a 150km, onde outros casos foram registrados. A partir desta quinta-feira (18), será montada equipe multidisciplinar para acompanhar as vítimas. Confira o resumo do caso aqui.

Presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB-CE, Christiane Leitão integra a comitiva com mais de 15 pessoas que foi ao município nesta quarta-feira (17) e, em conversa com o Tribuna do Ceará, explicou o trabalho a ser realizado.

“A comissão foi criada pela Secretaria de Proteção Social com um conjunto de órgãos que vão trabalhar para dar não só apoio a essas mulheres, bem como acompanhar, monitorar e ajudar a delegada que está fazendo um trabalho excelente, a Dra. Rogéria, uma delegada atuante, competente. Essa comitiva vai ajudar a fazer uma oitiva qualificada. Elas vão precisar de apoio psicológico, social. Tem todo um antes e, mais importante, um depois, porque a vida delas vai continuar”, disse a advogada.

Ações

Pelo menos 18 vítimas diferentes foram identificadas nos 63 vídeos íntimos gravados pelo próprio José Hilson, sem permissão das mulheres. Na próxima terça-feira (23), o grupo volta a Uruburetama e também vai para Cruz, onde também há registros de vítimas de José Hilson.

“A partir de hoje (quinta-feira), dentro da cronologia da estrutura do Estado, vai ser montada uma equipe multidisciplinar para ir às casas das vítimas. São muitos órgãos trabalhando. Nesse primeiro momento, é uma parte mais de saúde e de psicologia. Depois, tem toda a listagem das pessoas que o MP vai começar a ouvir, tem toda a parte do inquérito policial. É um momento sigiloso. A Ordem vai participar ajudando nisso”, explicou Dra. Christiane.

Sobre a possibilidade de o número de vítimas ser maior, a advogada disse que “ainda não se tem (informação)”. “O MP chegou a falar com algumas pessoas. Nesse momento, é até precipitado dizer que como essa história é antiga, é preciso esperar o desenrolar dos movimentos”, pontuou.

José Hilson de Paiva, prefeito afastado de Uruburetama, é acusado de abusar sexualmente de pacientes. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Impressões

Em Uruburetama, a advogada relata a recepção das pessoas, que esperam a resolução do caso. Na última terça-feira (16), moradores chegaram a comemorar o afastamento do prefeito do comando da cidade.

“Deve ser um processo longo. Tem que ser uma coisa muito bem feita, bem organizada. Essa é uma história longa, porque nunca se tomou uma postura de atitude. A sociedade se calava, ninguém enfrentava. Nós estávamos almoçando e uma senhora parou pra dizer ‘obrigada por vocês estarem aqui. Isso todo mundo sabia e ninguém tinha coragem de falar’. As próprias investigações podem ter desdobramentos, no que aciona o Judiciário, pode-se acionar também a Corregedoria. É precipitado, mas isso aí vai vir à tona. O importante é apurar com rigor”, disse Christiane Leitão.

Entenda o caso

Afastado do cargo de prefeito de Uruburetama e expulso de seu partido, o PCdoB, José Hilson de Paiva, de 70 anos, é acusado de assediar e abusar sexualmente de pacientes durante atendimento no hospital municipal e numa clínica particular da cidade e também no município de Cruz, a 150km de distância. Médico clínico geral, ele atuava também como ginecologista mesmo sem a especialidade. O suspeito é alvo de denúncias há pelo menos três, décadas, desde 1986. Defensoria Pública e OAB estiveram na cidade para dar suporte a vítimas.

Pelo menos 63 vídeos que mostram 23 mulheres, onde 17 podem ter sido abusadas, foram entregues ao Ministério Público do Ceará. A Promotoria de Justiça de Uruburetama investiga o caso. O Ministério Público pediu prisão preventiva do acusado.

Defesa

A defesa do médico alega que os vídeos nos quais ele aparece abusando sexualmente de pacientes não são recentes, já que José Hilson não faz mais atendimentos desde 2017.

Publicidade

Dê sua opinião

INVESTIGAÇÃO CRITERIOSA

“Todos já sabiam”, ouvem advogadas após chegada da comissão de suporte às vítimas de prefeito

Uma comissão com mais de 15 pessoas busca vítimas do prefeito afastado José Hilson de Paiva, de 70 anos, acusado de abusar sexualmente de pacientes durante consultas ginecológica

Por Crisneive Silveira em Segurança Pública

18 de julho de 2019 às 12:36

Há 3 meses

Pelo menos 18 vítimas diferentes foram identificadas nos 63 vídeos íntimos gravados pelo próprio José Hilson (FOTO: Reprodução)

A comissão criada pela Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos, do Governo do Estado, com Defensoria Pública do Ceará, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE) e outros grupos esteve em Uruburetama, a 110km de Fortaleza, para dar suporte às vítimas de José Hilson de Paiva. Médico e prefeito afastado da cidade, ele é investigado por abusar sexualmente de pacientes durante exames ginecológicos.

Equipe volta a visitar o município e também vai até Cruz, a 150km, onde outros casos foram registrados. A partir desta quinta-feira (18), será montada equipe multidisciplinar para acompanhar as vítimas. Confira o resumo do caso aqui.

Presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB-CE, Christiane Leitão integra a comitiva com mais de 15 pessoas que foi ao município nesta quarta-feira (17) e, em conversa com o Tribuna do Ceará, explicou o trabalho a ser realizado.

“A comissão foi criada pela Secretaria de Proteção Social com um conjunto de órgãos que vão trabalhar para dar não só apoio a essas mulheres, bem como acompanhar, monitorar e ajudar a delegada que está fazendo um trabalho excelente, a Dra. Rogéria, uma delegada atuante, competente. Essa comitiva vai ajudar a fazer uma oitiva qualificada. Elas vão precisar de apoio psicológico, social. Tem todo um antes e, mais importante, um depois, porque a vida delas vai continuar”, disse a advogada.

Ações

Pelo menos 18 vítimas diferentes foram identificadas nos 63 vídeos íntimos gravados pelo próprio José Hilson, sem permissão das mulheres. Na próxima terça-feira (23), o grupo volta a Uruburetama e também vai para Cruz, onde também há registros de vítimas de José Hilson.

“A partir de hoje (quinta-feira), dentro da cronologia da estrutura do Estado, vai ser montada uma equipe multidisciplinar para ir às casas das vítimas. São muitos órgãos trabalhando. Nesse primeiro momento, é uma parte mais de saúde e de psicologia. Depois, tem toda a listagem das pessoas que o MP vai começar a ouvir, tem toda a parte do inquérito policial. É um momento sigiloso. A Ordem vai participar ajudando nisso”, explicou Dra. Christiane.

Sobre a possibilidade de o número de vítimas ser maior, a advogada disse que “ainda não se tem (informação)”. “O MP chegou a falar com algumas pessoas. Nesse momento, é até precipitado dizer que como essa história é antiga, é preciso esperar o desenrolar dos movimentos”, pontuou.

José Hilson de Paiva, prefeito afastado de Uruburetama, é acusado de abusar sexualmente de pacientes. (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Impressões

Em Uruburetama, a advogada relata a recepção das pessoas, que esperam a resolução do caso. Na última terça-feira (16), moradores chegaram a comemorar o afastamento do prefeito do comando da cidade.

“Deve ser um processo longo. Tem que ser uma coisa muito bem feita, bem organizada. Essa é uma história longa, porque nunca se tomou uma postura de atitude. A sociedade se calava, ninguém enfrentava. Nós estávamos almoçando e uma senhora parou pra dizer ‘obrigada por vocês estarem aqui. Isso todo mundo sabia e ninguém tinha coragem de falar’. As próprias investigações podem ter desdobramentos, no que aciona o Judiciário, pode-se acionar também a Corregedoria. É precipitado, mas isso aí vai vir à tona. O importante é apurar com rigor”, disse Christiane Leitão.

Entenda o caso

Afastado do cargo de prefeito de Uruburetama e expulso de seu partido, o PCdoB, José Hilson de Paiva, de 70 anos, é acusado de assediar e abusar sexualmente de pacientes durante atendimento no hospital municipal e numa clínica particular da cidade e também no município de Cruz, a 150km de distância. Médico clínico geral, ele atuava também como ginecologista mesmo sem a especialidade. O suspeito é alvo de denúncias há pelo menos três, décadas, desde 1986. Defensoria Pública e OAB estiveram na cidade para dar suporte a vítimas.

Pelo menos 63 vídeos que mostram 23 mulheres, onde 17 podem ter sido abusadas, foram entregues ao Ministério Público do Ceará. A Promotoria de Justiça de Uruburetama investiga o caso. O Ministério Público pediu prisão preventiva do acusado.

Defesa

A defesa do médico alega que os vídeos nos quais ele aparece abusando sexualmente de pacientes não são recentes, já que José Hilson não faz mais atendimentos desde 2017.