Engenheiro formado no Ceará ganha prêmio de inventor do ano

UFC

Engenheiro formado no Ceará é primeiro sul-americano a ganhar prêmio de inventor do ano

Ícaro Leonardo, 35 anos, é o mais jovem entre os três premiados. Ele trabalha com a evolução, desenvolvimento e licenciamento de produtos 5G

Por Tribuna do Ceará em Tecnologia

11 de novembro de 2019 às 07:00

Há 8 meses

Inventor e pesquisador da Ericsson, Ícaro Leonardo conta com mais de 1200 patentes em vários países. (FOTO: Ericsson)

Ícaro Leonardo da Silva, ex-aluno do curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Ceará (UFC), foi o primeiro sul-americano a ganhar o Inventor of the Year Award (Prêmio Inventor do Ano) promovido pela multinacional de telecomunicação, a Ericsson, que está há 140 anos no mercado.

Por mais de 20 anos, o prêmio realça as inovações feitas pelos inventores da multinacional. O resultado do investimento em pesquisas na área já somam mais de 49 mil patentes concedidas em todo o mundo.

O prêmio é uma maneira de reconhecimento para os colaboradores cujas pesquisas e trabalhos a tornam destaque. Além de Ícaro, outros dois inventores foram contemplados com o prêmio esse ano, Mark Harrison e Johan Rune.

A pesquisa de Mark Harrison é voltada para transparência de dados, uma melhor cobertura e mais confiável para telefones móveis e outros dispositivos conectados. Johan Rune trabalha no desenvolvimento de conceitos 5G, direcionado à rede de rádio, melhorando a maneira como a estação base e o terminal móvel interagem entre si.

Ícaro Leonardo, 35 anos, é o mais jovem entre os três premiados. Ele trabalha com a evolução, desenvolvimento e licenciamento de produtos 5G. Representou a Ericsson no processo de padronização da 5G NR (New Radio), sua pretensão é melhorar a comunicação entre dispositivos e estações de rádio-base, garantindo ações mais rápidas e eficientes.

A 5G NR (New Rádio) ou Quinta Geração de Internet Nova Rádio, é uma interface aérea inerente da radiofrequência do circuito entre o aparelho móvel e a estação base. A estação pode mudar à medida que se está em movimento, possibilitando assim uma conexão contínua.

Para Ícaro, a premiação representa reconhecimento da indústria de telecomunicações de forma geral, tendo em vista que a aprovação das invenções no setor da tecnologia 5G é definida em fórum por toda a indústria, não apenas pela Ericsson. Ele que coleciona mais de 1.200 patentes registradas em vários países em diferentes ramos da comunicação sem fio.

Em entrevista para o portal de notícias da UFC, o inventor ressalta a importância de investimentos em pesquisas e intercâmbio nas universidades, foi por meio dessas oportunidades que iniciou sua carreira e contribuições para a indústria das telecomunicações.

Ainda na graduação fez intercâmbio com a Centrale Lyon, uma instituição pública de administração e pesquisa, na França. O que impulsionou o desejo de uma carreira internacional.

Através de sua participação no Grupo de Pesquisa de Telecomunicações Sem Fio (GTEL) na UFC, o engenheiro foi convidado a fazer parte da sede da Ericsson na Suécia, em Estocolmo, adquirindo conhecimentos industriais para as ferramentas teóricas, contribuindo para a conclusão do seu mestrado.

Publicidade

Dê sua opinião

UFC

Engenheiro formado no Ceará é primeiro sul-americano a ganhar prêmio de inventor do ano

Ícaro Leonardo, 35 anos, é o mais jovem entre os três premiados. Ele trabalha com a evolução, desenvolvimento e licenciamento de produtos 5G

Por Tribuna do Ceará em Tecnologia

11 de novembro de 2019 às 07:00

Há 8 meses

Inventor e pesquisador da Ericsson, Ícaro Leonardo conta com mais de 1200 patentes em vários países. (FOTO: Ericsson)

Ícaro Leonardo da Silva, ex-aluno do curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Ceará (UFC), foi o primeiro sul-americano a ganhar o Inventor of the Year Award (Prêmio Inventor do Ano) promovido pela multinacional de telecomunicação, a Ericsson, que está há 140 anos no mercado.

Por mais de 20 anos, o prêmio realça as inovações feitas pelos inventores da multinacional. O resultado do investimento em pesquisas na área já somam mais de 49 mil patentes concedidas em todo o mundo.

O prêmio é uma maneira de reconhecimento para os colaboradores cujas pesquisas e trabalhos a tornam destaque. Além de Ícaro, outros dois inventores foram contemplados com o prêmio esse ano, Mark Harrison e Johan Rune.

A pesquisa de Mark Harrison é voltada para transparência de dados, uma melhor cobertura e mais confiável para telefones móveis e outros dispositivos conectados. Johan Rune trabalha no desenvolvimento de conceitos 5G, direcionado à rede de rádio, melhorando a maneira como a estação base e o terminal móvel interagem entre si.

Ícaro Leonardo, 35 anos, é o mais jovem entre os três premiados. Ele trabalha com a evolução, desenvolvimento e licenciamento de produtos 5G. Representou a Ericsson no processo de padronização da 5G NR (New Radio), sua pretensão é melhorar a comunicação entre dispositivos e estações de rádio-base, garantindo ações mais rápidas e eficientes.

A 5G NR (New Rádio) ou Quinta Geração de Internet Nova Rádio, é uma interface aérea inerente da radiofrequência do circuito entre o aparelho móvel e a estação base. A estação pode mudar à medida que se está em movimento, possibilitando assim uma conexão contínua.

Para Ícaro, a premiação representa reconhecimento da indústria de telecomunicações de forma geral, tendo em vista que a aprovação das invenções no setor da tecnologia 5G é definida em fórum por toda a indústria, não apenas pela Ericsson. Ele que coleciona mais de 1.200 patentes registradas em vários países em diferentes ramos da comunicação sem fio.

Em entrevista para o portal de notícias da UFC, o inventor ressalta a importância de investimentos em pesquisas e intercâmbio nas universidades, foi por meio dessas oportunidades que iniciou sua carreira e contribuições para a indústria das telecomunicações.

Ainda na graduação fez intercâmbio com a Centrale Lyon, uma instituição pública de administração e pesquisa, na França. O que impulsionou o desejo de uma carreira internacional.

Através de sua participação no Grupo de Pesquisa de Telecomunicações Sem Fio (GTEL) na UFC, o engenheiro foi convidado a fazer parte da sede da Ericsson na Suécia, em Estocolmo, adquirindo conhecimentos industriais para as ferramentas teóricas, contribuindo para a conclusão do seu mestrado.