Rosier Alexandre: "Toda crise tem fim"

"QUAL O SEU EVEREST?"

Rosier Alexandre: “Toda crise tem fim”

Precisamos ter muita disciplina para cumprir as orientações médicas, muita solidariedade para nos ajudarmos mutuamente e mantermos-nos informados na medida certa

Por Tribuna do Ceará em Opinião

23 de março de 2020 às 08:49

Há 2 meses

Amigos, eu estive mergulhado nas duas maiores tragédias da história do Everest, as duas temporadas com mais mortes de toda a história daquela montanha.

Infelizmente eu presenciei em 2014 uma avalanche matou 16 pessoas, perdi 3 amigos e escapei por pouco, e em 2015 uma avalanche matou 19 pessoas, dentre elas a minha médica, e eu fiquei preso na montanha a 6.500m de altitude por 3 dias aguardando resgate, com frio extremo, racionando alimentação, sem comunicação com minha família e lidando com alto risco que a própria situação nos colocava.

Nestes dois anos, graças à minha experiência e capacidade de planejar e executar um plano de ação eu sobrevivi e voltei são e salvo. As expedições que realizei em grandes montanhas e com alto risco, me deram habilidades para gerenciar crises.

Impossível não traçar um paralelo com a pandemia do Coronavírus. Estamos mergulhados em uma operação de guerra, que é muito grave e, se não soubermos lidar com ela, pode ser catastrófica.

A primeira coisa a considerar: toda crise passa, mas o prazo depende das nossas ações. Precisamos ter muita disciplina para cumprir as orientações médicas, muita solidariedade para nos ajudarmos mutuamente e mantermos-nos informados na medida certa evitando o excesso de notícias negativas. É fundamental ocupar-se de forma inteligente, isso mantém a nossa sanidade mental.

Quem estiver em home office ou de quarentena, procure ver bons filmes, leia bons livros, faça contação de histórias para os filhos, reúna a família para ver fotos antigas, eleja alguns temas para debates onde todos possam se manifestar livremente sem julgamentos ou interrupções. Os temas podem ser: meio ambiente, política, espiritualidade, história, economia, sintam-se livres para criar suas próprias teorias da origem da humanidade, assim como o futuro. Vale tudo, menos alimentar pessimismo.

Me sigam nas redes sociais, lá eu estou postando dicas de livros e filmes para este período. Estamos juntos.

Contém comigo e recebam o meu abraço virtual, em breve esta crise será superada e trocaremos um abraço pessoalmente.

Até a próxima segunda.

Publicidade

Dê sua opinião

"QUAL O SEU EVEREST?"

Rosier Alexandre: “Toda crise tem fim”

Precisamos ter muita disciplina para cumprir as orientações médicas, muita solidariedade para nos ajudarmos mutuamente e mantermos-nos informados na medida certa

Por Tribuna do Ceará em Opinião

23 de março de 2020 às 08:49

Há 2 meses

Amigos, eu estive mergulhado nas duas maiores tragédias da história do Everest, as duas temporadas com mais mortes de toda a história daquela montanha.

Infelizmente eu presenciei em 2014 uma avalanche matou 16 pessoas, perdi 3 amigos e escapei por pouco, e em 2015 uma avalanche matou 19 pessoas, dentre elas a minha médica, e eu fiquei preso na montanha a 6.500m de altitude por 3 dias aguardando resgate, com frio extremo, racionando alimentação, sem comunicação com minha família e lidando com alto risco que a própria situação nos colocava.

Nestes dois anos, graças à minha experiência e capacidade de planejar e executar um plano de ação eu sobrevivi e voltei são e salvo. As expedições que realizei em grandes montanhas e com alto risco, me deram habilidades para gerenciar crises.

Impossível não traçar um paralelo com a pandemia do Coronavírus. Estamos mergulhados em uma operação de guerra, que é muito grave e, se não soubermos lidar com ela, pode ser catastrófica.

A primeira coisa a considerar: toda crise passa, mas o prazo depende das nossas ações. Precisamos ter muita disciplina para cumprir as orientações médicas, muita solidariedade para nos ajudarmos mutuamente e mantermos-nos informados na medida certa evitando o excesso de notícias negativas. É fundamental ocupar-se de forma inteligente, isso mantém a nossa sanidade mental.

Quem estiver em home office ou de quarentena, procure ver bons filmes, leia bons livros, faça contação de histórias para os filhos, reúna a família para ver fotos antigas, eleja alguns temas para debates onde todos possam se manifestar livremente sem julgamentos ou interrupções. Os temas podem ser: meio ambiente, política, espiritualidade, história, economia, sintam-se livres para criar suas próprias teorias da origem da humanidade, assim como o futuro. Vale tudo, menos alimentar pessimismo.

Me sigam nas redes sociais, lá eu estou postando dicas de livros e filmes para este período. Estamos juntos.

Contém comigo e recebam o meu abraço virtual, em breve esta crise será superada e trocaremos um abraço pessoalmente.

Até a próxima segunda.