Rosier Alexandre: "Qual é o Everest da sua vida?"

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Qual é o Everest da sua vida?”

Estabeleci como meta aprender todo dia e, apesar dos desafios e das tentativas sem sucesso, não ficar paralisado pelo medo de errar

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

11 de maio de 2020 às 09:09

Há 3 semanas

O meu Everest mais difícil de escalar e também o mais importante da minha vida foi a maior montanha da terra. Ele tem e sempre terá um lugar especial na minha vida, mas de longe, o mais importante é ser autêntico, ser eu mesmo e não perder tempo e energia tentando ser quem eu não sou. Isso pode parecer muito simples, mas não é.

Nós somos a todo momento bombardeados de estímulos para nos enquadrarmos em padrões e modelos para sermos aceitos pela sociedade, mas isso é a paranoia do “Control C Control V” onde nada se cria, tudo se copia.

Neste desafio de ser eu mesmo, estabeleci como meta aprender todo dia e, apesar dos desafios e das tentativas sem sucesso, não ficar paralisado pelo medo de errar. A vida me ensinou que o erro faz parte do aprendizado, e só erra quem tenta. E, se eu não tentar, nunca vou realizar nada.

Thomas Edison, o gênio da lâmpada e autor de diversos outros inventos, era um garoto teimoso e parecia desatento, um dia seu professor disse pra sua mãe: “O garoto é confuso da cabeça, não consegue aprender, não para de fazer perguntas”.

Isso ocorreu porque algumas pessoas confundem curiosidade e raciocínio rápido com falta de inteligência. Edison foi um autodidata que estudou formalmente em uma escola apenas durante 3 meses e, posteriormente, se tornou um dos cientistas com o maior número de inventos que se tem notícias. Na sua tentativa de criar a lâmpada elétrica incandescente, foram mais de 600 experimentos diferentes sem sucesso. Um amigo lhe disse: “desista, você já errou mais de 600 vezes” e ele respondeu: “eu aprendi mais de 600 maneiras que não funcionam”.

Graças a sua teimosia inteligente, hoje o mundo é iluminado a noite. Thomas Edison foi uma das grandes fontes de inspiração que tive para não desistir quando o Everest me disse NÃO! Mesmo depois de sobreviver às duas maiores tragédias da história do Everest, eu encontrei motivação e força para ir buscar a realização dos meus sonhos.

Confesso que tenho alguns medos, mas nunca deixarei que eles apaguem nos meus sonhos. Eu sempre serei movido pela curiosidade de aprender e a coragem de tentar.

Grande abraço e até a próxima segunda.

Publicidade

Dê sua opinião

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Qual é o Everest da sua vida?”

Estabeleci como meta aprender todo dia e, apesar dos desafios e das tentativas sem sucesso, não ficar paralisado pelo medo de errar

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

11 de maio de 2020 às 09:09

Há 3 semanas

O meu Everest mais difícil de escalar e também o mais importante da minha vida foi a maior montanha da terra. Ele tem e sempre terá um lugar especial na minha vida, mas de longe, o mais importante é ser autêntico, ser eu mesmo e não perder tempo e energia tentando ser quem eu não sou. Isso pode parecer muito simples, mas não é.

Nós somos a todo momento bombardeados de estímulos para nos enquadrarmos em padrões e modelos para sermos aceitos pela sociedade, mas isso é a paranoia do “Control C Control V” onde nada se cria, tudo se copia.

Neste desafio de ser eu mesmo, estabeleci como meta aprender todo dia e, apesar dos desafios e das tentativas sem sucesso, não ficar paralisado pelo medo de errar. A vida me ensinou que o erro faz parte do aprendizado, e só erra quem tenta. E, se eu não tentar, nunca vou realizar nada.

Thomas Edison, o gênio da lâmpada e autor de diversos outros inventos, era um garoto teimoso e parecia desatento, um dia seu professor disse pra sua mãe: “O garoto é confuso da cabeça, não consegue aprender, não para de fazer perguntas”.

Isso ocorreu porque algumas pessoas confundem curiosidade e raciocínio rápido com falta de inteligência. Edison foi um autodidata que estudou formalmente em uma escola apenas durante 3 meses e, posteriormente, se tornou um dos cientistas com o maior número de inventos que se tem notícias. Na sua tentativa de criar a lâmpada elétrica incandescente, foram mais de 600 experimentos diferentes sem sucesso. Um amigo lhe disse: “desista, você já errou mais de 600 vezes” e ele respondeu: “eu aprendi mais de 600 maneiras que não funcionam”.

Graças a sua teimosia inteligente, hoje o mundo é iluminado a noite. Thomas Edison foi uma das grandes fontes de inspiração que tive para não desistir quando o Everest me disse NÃO! Mesmo depois de sobreviver às duas maiores tragédias da história do Everest, eu encontrei motivação e força para ir buscar a realização dos meus sonhos.

Confesso que tenho alguns medos, mas nunca deixarei que eles apaguem nos meus sonhos. Eu sempre serei movido pela curiosidade de aprender e a coragem de tentar.

Grande abraço e até a próxima segunda.