Prefeito está proibido de exercer medicina pelos próximos 6 meses

PUNIDO

Prefeito de Uruburetama está proibido de exercer medicina pelos próximos 6 meses, decide Cremec

Na entrevista coletiva, o Cremec afirma ter encaminhado o informe ao Diário Oficial da União e entregue uma notificação a uma pessoa que se encontrava na casa do acusado

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

16 de julho de 2019 às 15:10

Há 1 mês

Segundo a Polícia Civil do Estado, novas denúncias contra o prefeito e médico continuam aparecendo (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

O Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec) decidiu pela interdição cautelar de José Hilson de Paiva. A medida foi anunciada em coletiva de imprensa ocorrida na tarde desta terça-feira (16). Pela decisão, ele não poderá exercer a medicina por seis meses. Caso não seja julgado durante esse período, o prazo pode se estender em mais seis meses.

A entidade abriu um procedimento para apurar as denúncias contra José Hilson de Paiva. A sindicância pode demorar de um a dois anos. A ação pode cassar definitivamente o direito do médico exercer a profissão. O Cremec afirma já ter encaminhado o informe ao Diário Oficial da União e já ter entregue uma notificação a uma pessoa que se encontrava na casa do acusado.

A Justiça cearense se manifestou em nota, assinada pelo juiz de Uruburetama, José Cleber Moura do Nascimento, informando que não há procedimento criminal instaurado contra o prefeito naquela cidade. A nota afirma que a Justiça pode agir somente quando há denúncia apresentada pelo Ministério Público (MP). O texto orienta as vítimas a procurarem a Polícia Civil e o MP.  A Associação Cearense de Magistrados também divulgou nota afirmando que as acusações devem ser investigadas, mas que o papel de acusador não cabe ao juiz.

Segundo a Polícia Civil do Estado, novas denúncias contra o prefeito e médico continuam aparecendo. Nessa segunda-feira (15), foi registrado mais um boletim de ocorrência na delegacia municipal de Cruz. O Ministério Público também confirmou ter ouvido algumas vítimas. Já o PCdoB, partido de José Hilson, decidiu pela expulsão dele.

Para a presidente da Comissão da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Itapipoca, na região de Uruburetama, a impunidade de casos como este desencoraja as vítimas a denunciar.

Segundo ela, o médico é visto como autoridade. As vítimas são mulheres de baixa renda, que desconhecem o procedimento de um exame ginecológico. Clara Silveira também acredita que a morosidade da Justiça corrobora para homens continuarem desrespeitando a mulher. Para alertar a população feminina de possíveis agressões ou abuso sexual, a OAB promove palestras educativas na região.

Confira mais na reportagem de Juliana Brito para o Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Conselho Regional de Medicina abre procedimento para apurar denúncias contra prefeito de Uruburetama

O Conselho Regional de Medicina (CRM) se reuniu na manhã desta terça feira (16) para definir que medida será adotada sobre o caso do prefeito de Uruburetama, que é acusado de abuso sexual. A entidade abriu um procedimento para apurar as denúncias contra José Hilson de Paiva. A sindicância pode demorar de um a dois anos. Mas cabe ainda uma interdição com efeito imediato, que pode impedir o médico de exercer a profissão até o julgamento. #JornalJangadeiro

Posted by TV Jangadeiro on Tuesday, July 16, 2019

Publicidade

Dê sua opinião

PUNIDO

Prefeito de Uruburetama está proibido de exercer medicina pelos próximos 6 meses, decide Cremec

Na entrevista coletiva, o Cremec afirma ter encaminhado o informe ao Diário Oficial da União e entregue uma notificação a uma pessoa que se encontrava na casa do acusado

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

16 de julho de 2019 às 15:10

Há 1 mês

Segundo a Polícia Civil do Estado, novas denúncias contra o prefeito e médico continuam aparecendo (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

O Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec) decidiu pela interdição cautelar de José Hilson de Paiva. A medida foi anunciada em coletiva de imprensa ocorrida na tarde desta terça-feira (16). Pela decisão, ele não poderá exercer a medicina por seis meses. Caso não seja julgado durante esse período, o prazo pode se estender em mais seis meses.

A entidade abriu um procedimento para apurar as denúncias contra José Hilson de Paiva. A sindicância pode demorar de um a dois anos. A ação pode cassar definitivamente o direito do médico exercer a profissão. O Cremec afirma já ter encaminhado o informe ao Diário Oficial da União e já ter entregue uma notificação a uma pessoa que se encontrava na casa do acusado.

A Justiça cearense se manifestou em nota, assinada pelo juiz de Uruburetama, José Cleber Moura do Nascimento, informando que não há procedimento criminal instaurado contra o prefeito naquela cidade. A nota afirma que a Justiça pode agir somente quando há denúncia apresentada pelo Ministério Público (MP). O texto orienta as vítimas a procurarem a Polícia Civil e o MP.  A Associação Cearense de Magistrados também divulgou nota afirmando que as acusações devem ser investigadas, mas que o papel de acusador não cabe ao juiz.

Segundo a Polícia Civil do Estado, novas denúncias contra o prefeito e médico continuam aparecendo. Nessa segunda-feira (15), foi registrado mais um boletim de ocorrência na delegacia municipal de Cruz. O Ministério Público também confirmou ter ouvido algumas vítimas. Já o PCdoB, partido de José Hilson, decidiu pela expulsão dele.

Para a presidente da Comissão da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Itapipoca, na região de Uruburetama, a impunidade de casos como este desencoraja as vítimas a denunciar.

Segundo ela, o médico é visto como autoridade. As vítimas são mulheres de baixa renda, que desconhecem o procedimento de um exame ginecológico. Clara Silveira também acredita que a morosidade da Justiça corrobora para homens continuarem desrespeitando a mulher. Para alertar a população feminina de possíveis agressões ou abuso sexual, a OAB promove palestras educativas na região.

Confira mais na reportagem de Juliana Brito para o Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Conselho Regional de Medicina abre procedimento para apurar denúncias contra prefeito de Uruburetama

O Conselho Regional de Medicina (CRM) se reuniu na manhã desta terça feira (16) para definir que medida será adotada sobre o caso do prefeito de Uruburetama, que é acusado de abuso sexual. A entidade abriu um procedimento para apurar as denúncias contra José Hilson de Paiva. A sindicância pode demorar de um a dois anos. Mas cabe ainda uma interdição com efeito imediato, que pode impedir o médico de exercer a profissão até o julgamento. #JornalJangadeiro

Posted by TV Jangadeiro on Tuesday, July 16, 2019