Perícia não encontra vestígios de chumbo nas mãos de empresária morta com um tiro

SUSPEITA DE FEMINICÍDIO

Perícia não encontra vestígios de chumbo nas mãos de empresária morta com tiro no peito

De acordo com o advogado que representa a família da empresária, a Polícia Civil já teria descartado a tese de suicídio

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

20 de setembro de 2019 às 09:24

Há 4 semanas

Morte da empresária Jamile de Oliveira é investigada pela polícia. (FOTO: Reprodução)

Não haveria vestígios de chumbo nas mãos da empresária Jamile de Oliveira. Essa seria a constatação da perícia feita logo após a morte dela com um tiro no peito. A Polícia Civil teria descartado a hipótese de suicídio.

“Não há nenhuma digital na arma. Então, no momento em que ele deixou a Jamile no hospital e voltou para o apartamento, foi exatamente para proceder essa limpeza, essa adulteração da cena do crime. Para a família, dúvida nenhuma há de que se trata de feminicídio”, disse o advogado da família da vítima, Flávio Jacinto.

De acordo com o advogado que representa a família da empresária, a Polícia Civil já teria descartado a tese de suicídio. Os investigadores estariam de posse de laudos de exames que comprovariam que a morte de Jamile foi um feminicídio, como a constatação de que a arma de onde partiu o tiro não tinha nenhuma impressão digital.

“Como é que uma pessoa está com outra, que se diz de sua intimidade, do seu querer, e essa pessoa está fatalmente atingida por bala, ele chega no hospital, joga essa pessoa, deixa lá como indigente, e volta para o apartamento para fazer a limpeza e tirar aquilo que possa comprometê-lo. É estranho isso. É absurdo!”, disse o advogado.

Nesta quinta-feira (19), dois veículos da empresária, que estavam com o namorado dela, foram entregues à polícia e serão devolvidos à família. A polícia começou a investigar a possibilidade de um assassinato a partir de vídeos que mostram a mulher sendo socorrida com tiro no peito pelo próprio filho e pelo namorado e então advogado, Aldemir Pessoa.

O Juízo da 4ª Vara do Júri da Comarca de Fortaleza negou pedido de prisão temporária de Aldemir Pessoa Júnior por não preencher as hipóteses legais. Contudo, na decisão, proferida no último dia 18 de setembro, o Juízo fixou as seguintes medidas cautelares: afastamento e proibição de frequentar a residência da vítima; proibição de manter contato, por quaisquer meios diretos ou indiretos com as testemunhas do inquérito policial, mantendo distância mínima de 200 metros; proibição de ausentar-se da Comarca, salvo autorização da Justiça; e recolhimento de passaporte.

O referido processo tramita em segredo de Justiça, razão pela qual não podem ser repassadas mais informações.

Confira a reportagem completa do Jornal Jangadeiro: 

Acompanhe o caso:

19/9 – Justiça do Ceará nega pedido de prisão de namorado de empresária

19/9 – Herança deixada por ex-marido de empresária que morreu conta com mais de 20 imóveis na área nobre

18/9 – Amigos e familiares fazem manifestação no dia em que empresária completaria 47 anos

18/9 – Médico diz que trajetória de bala que matou empresária não é habitual de suicídio

18/9 – Polícia investiga se namorado suspeito de matar empresária respondeu mensagens no celular dela

18/9 – 10 dias antes da morte, empresária assinou procuração dando direitos a namorado suspeito de feminicídio

17/9 – Caso tratatado como suicídio tem reviravolta, e namorado de empresária vira suspeito de feminicídio

Publicidade

Dê sua opinião

SUSPEITA DE FEMINICÍDIO

Perícia não encontra vestígios de chumbo nas mãos de empresária morta com tiro no peito

De acordo com o advogado que representa a família da empresária, a Polícia Civil já teria descartado a tese de suicídio

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

20 de setembro de 2019 às 09:24

Há 4 semanas

Morte da empresária Jamile de Oliveira é investigada pela polícia. (FOTO: Reprodução)

Não haveria vestígios de chumbo nas mãos da empresária Jamile de Oliveira. Essa seria a constatação da perícia feita logo após a morte dela com um tiro no peito. A Polícia Civil teria descartado a hipótese de suicídio.

“Não há nenhuma digital na arma. Então, no momento em que ele deixou a Jamile no hospital e voltou para o apartamento, foi exatamente para proceder essa limpeza, essa adulteração da cena do crime. Para a família, dúvida nenhuma há de que se trata de feminicídio”, disse o advogado da família da vítima, Flávio Jacinto.

De acordo com o advogado que representa a família da empresária, a Polícia Civil já teria descartado a tese de suicídio. Os investigadores estariam de posse de laudos de exames que comprovariam que a morte de Jamile foi um feminicídio, como a constatação de que a arma de onde partiu o tiro não tinha nenhuma impressão digital.

“Como é que uma pessoa está com outra, que se diz de sua intimidade, do seu querer, e essa pessoa está fatalmente atingida por bala, ele chega no hospital, joga essa pessoa, deixa lá como indigente, e volta para o apartamento para fazer a limpeza e tirar aquilo que possa comprometê-lo. É estranho isso. É absurdo!”, disse o advogado.

Nesta quinta-feira (19), dois veículos da empresária, que estavam com o namorado dela, foram entregues à polícia e serão devolvidos à família. A polícia começou a investigar a possibilidade de um assassinato a partir de vídeos que mostram a mulher sendo socorrida com tiro no peito pelo próprio filho e pelo namorado e então advogado, Aldemir Pessoa.

O Juízo da 4ª Vara do Júri da Comarca de Fortaleza negou pedido de prisão temporária de Aldemir Pessoa Júnior por não preencher as hipóteses legais. Contudo, na decisão, proferida no último dia 18 de setembro, o Juízo fixou as seguintes medidas cautelares: afastamento e proibição de frequentar a residência da vítima; proibição de manter contato, por quaisquer meios diretos ou indiretos com as testemunhas do inquérito policial, mantendo distância mínima de 200 metros; proibição de ausentar-se da Comarca, salvo autorização da Justiça; e recolhimento de passaporte.

O referido processo tramita em segredo de Justiça, razão pela qual não podem ser repassadas mais informações.

Confira a reportagem completa do Jornal Jangadeiro: 

Acompanhe o caso:

19/9 – Justiça do Ceará nega pedido de prisão de namorado de empresária

19/9 – Herança deixada por ex-marido de empresária que morreu conta com mais de 20 imóveis na área nobre

18/9 – Amigos e familiares fazem manifestação no dia em que empresária completaria 47 anos

18/9 – Médico diz que trajetória de bala que matou empresária não é habitual de suicídio

18/9 – Polícia investiga se namorado suspeito de matar empresária respondeu mensagens no celular dela

18/9 – 10 dias antes da morte, empresária assinou procuração dando direitos a namorado suspeito de feminicídio

17/9 – Caso tratatado como suicídio tem reviravolta, e namorado de empresária vira suspeito de feminicídio